fbpx

limpeza em condomínio

Cuidando de onde você mora

Você sabe como é a vida de quem cuida do seu condomínio?

“Maria, fique tranquila. Ninguém vai tirar sua vaga, não”. Essa foi a resposta que Maria recebeu após um choque: tinha voltado de férias e se deparou com outra pessoa cuidando das áreas comuns onde trabalha há quase dois anos e meio.

Achou aquilo muito estranho, e mandou um e-mail para o síndico, perguntando se seria dispensada. O que ela recebeu de resposta, além de que o trabalho seguia sendo seu, foi uma avalanche de boas notícias.

“Nossa, recebi tanto elogio, tanto carinho, não imaginava que era assim que viam meu trabalho”.

Maria Albertina do Nascimento tem 55 anos, é mãe de três filhos e avó de três netos também. Moradora de Paraisópolis (zona sul de São Paulo), trabalha, ali do lado, no Morumbi. Ela é vista como uma funcionária que está sempre de bem com a vida, sorrindo e cantarolando. Também não dispensa a boa apresentação: todo dia chega maquiada e bem bonita no trabalho.

Com uma rotina puxada, mas que permite estar próxima dos filhos, ela contou ao SíndicoLab como é um dia comum, como a segunda-feira em que a reportagem conversou com ela.

O dia começa puxado: Maria acorda cedinho, começa a preparar seu café, e enquanto a água esquenta, vai tomar banho. O detalhe é que ela não gosta de sentar à mesa: toma seu cafézinho de manhã com um biscoitinho, de pé.

Logo depois, ela já está no ponto de ônibus, prontíssima para pegar o coletivo. “São só cinco pontos daqui até o trabalho, dá, no máximo, 20 minutos de distância”, comemora ela. Realmente, Maria, morar longe do serviço em São Paulo, não dá!!

Às 7h50 ela chega no condomínio – seu horário começa às 8h00.

“Chego no condomínio, me troco, e vou ao escritório bater meu ponto”, conta.

É aí que começa, de fato, o trabalho dela. “Pego todo o material que preciso: balde, pano de chão, de tirar pó, os produtos de limpeza, vassoura…. e começo limpando a recepção.

Até chegar a hora do almoço, Maria conta com diversas atividades: são cerca de 3 salas, 3 banheiros e os elevadores sociais e de serviço para limpar e organizar – além da sala de reuniões e da copa, o local onde Maria faz as suas refeições.

O menu do dia foi uma costela cozida com arroz. O almoço depende do horário “Tem dias que eu almoço mais cedo, perto de meio dia mesmo, mas se não, vou comer por volta de 12h40”, conta ela.

Após esta pausa, ela volta ao trabalho. “Vou cuidar dos outros halls depois do almoço. Como hoje é segunda-feira, gosto de dar uma caprichada na academia. Também cuido do térreo, fico de olho para não ter nenhuma teia de aranha. Já se for terça-feira, lavo os halls dos moradores. As coisas têm seus dias certos, para ficar tudo limpo e organizado sempre”, explica Maria.

Ela conta que está sempre atenta ao serviço, mas que também gosta de conversar com os moradores do condomínio. Os encontros, geralmente acontecem quando ela está limpando os elevadores ou no hall principal do condomínio, já que o entra e sai de quem mora ali é principalmente feito de carro.

“É muito bom a gente conversar um pouquinho, saber se estão bem. Isso é legal para todo mundo”.

Mas, depois de tanta labuta, já é hora de voltar para casa.

“Antes da pandemia eu já não era muito de passear para chegar em casa. Agora, nem pensar que faço isso. Volto correndo para casa”.

E, chegando em casa, a primeira coisa que ela faz é ir tomar banho.

“Depois, vou fazer minhas coisinhas em casa. Gosto de ligar a TV para ter um barulhinho de fundo enquanto lavo minha louça e faço o jantar”, descreve Maria, contando que aproveita já para montar a marmita do trabalho do dia seguinte.

Nesse meio tempo, ela também cuida da roupa da casa também e se informar sobre como estão os filhos e netos. Hoje, ela mora sozinha.

“De noite, eu janto e fico esperando meu filho de dar notícias. Ele mora aqui perto, trabalha com entregas alguns dias da semana. De vez em quando, pergunta se tem jantar e se pode vir. Sempre bom, né, ter um momento com os filhos”, pesa ela.

Maria conta que, enquanto não tem notícias dos três filhos, não vai dormir, fica cochilando. “Melhor ir dormir tranquila, sabendo que os filhos e netos estão todos bem”.

Maria, essa trabalhadora brasileira, credita o sucesso do seu trabalho à sua felicidade – e também acha que é tão feliz por gostar muito do que faz.

“O meu segredo é ser feliz e fazer as coisas do jeito correto, em tudo que eu faço na minha vida. Assim, a gente evita tomar bronca, por exemplo. Quero sempre poder ir trabalhar sorrindo e voltar feliz para a minha casa, é o meu jeito. Acho que, assim, trabalho melhor e também levo melhor a minha vida”, conclui ela.

Siga assim, Maria, e nas férias deste ano, pode voltar tranquila! No máximo, vai ter alguém cuidando dessas áreas comuns que você preza tanto apenas durante a sua ausência.

Essa é a série “Quem cuida do seu condomínio”, uma iniciativa do SíndicoLab para valorizar aqueles que estão lado a lado com síndico, dando suporte aos moradores e tornando os condomínios Brasil afora lugares melhores para viver e trabalhar. Você tem um funcionário que é destaque no seu condomínio? Escreva para gente aqui

Cuidando de onde você mora

Compartilhe com seus amigos

Artigos

Inscreva-se nos cursos SíndicoLab Play!

Colunistas SíndicoLab

Assuntos

Artigos relacionados

Rolar para cima